Quanto custa a criação de periquitos australianos?

Muitos dos criadores existentes actualmente e os novos que se querem aventurar na criação de aves fazem-no com vista a terem algum lucro fácil mas, este é também, o maior motivo para a desistência.

Hoje em dia, o periquito australiano é tratado, pela esmagadora maioria dos criadores com o maior desprezo possível, sendo considerado como que uma praga que devora montanhas de comida e que fica muito caro quando comparado com a vertente de exposição, o periquito Inglês. Este desinteresse deve-se ao facto de o periquito Australiano ser bastante bom a criar, tendo gerado uma saturação no mercado o que fez com que o seu preço comercial baixasse bastante, o que já não acontece com os periquitos Ingleses que, por serem mais difíceis de criar são mais valorizados.

Pois bem, na minha opinião, altos e baixos existem em todos os negócios e, quem se quiser aventurar pela primeira vez neste mundo da criação, o periquito Australiano deveria ser a sua primeira opção, em vez de caírem na tentação de querer começar logo a ter algum retorno significativo que, na grande maioria das vezes acaba por ser um retorno negativo pela simples razão de não se conseguir fazer com que as aves criem pelas mais diversas razões. Pois isto, regra geral, não acontece com os Australianos, pelo que eu aconselho vivamente.

Vamos então começar com as contas que vão ser necessárias para uma iniciação, tentando utilizar sempre os valores máximos, de forma a não termos surpresas no final, quando formos comprar o material. O ideal será começar com 3 casais.

Assim, admitindo que as aves custam 5€ cada, temos 30€ em aves. Podemos também optar por fazer alguns negócios com amigos que tenham periquitos, por exemplo, pedir um casal a custo zero e pagar com as primeiras crias desse casal. Na maioria dos casos, as pessoas nem vão querer nada em troca… Comigo foi assim…

As gaiolas poderão ser compradas ou de fabrico caseiro. No mínimo, deverão ter uma frente de 50cm para cada casal. No caso das normais gaiolas de compra de 50cm com divisória, teremos 15€ por gaiola, o que, somado ao custo das aves perfaz 75€ (comedouros incluídos).

Já só faltam os ninhos e a comida. Aconselho ninhos de madeira de pinho pois são mais resistentes e duradouros e podem ser adquiridos por menos de 3€. Podemos assim somar aos 75€ mais 9 € dos ninhos, ficando assim com 84€.

Em relação à comida, é aconselhável comprar logo sacos de 25Kg pois deste modo cada Kg fica mais barato. Cada saco de 25Kg de mistura são 15€, e deve chegar para pelo menos 4 a 5 meses. Não nos devemos esquecer de que vão ser necessários alguns suplementos alimentares, pelo que 5-10€ por mês serão suficientes.

Assim, contas feitas por alto para o primeiro mês e sempre pelo maior valora possível, teremos 110€ de investimento inicial. A partir daqui é apenas manutenção e, se tudo correr conforme esperado, nunca mais será necessários comprar comida… O investimento mais pesado já está feito…

Quando for à loja comprar todo o material e a comida, fale logo com o dono de forma a assegurar o escoamento da sua “produção”.

Bom, e a partir de agora, vamos começar a fazer contas mas no bom sentido – o que entra!

Para começar, devemos ter em atenção que o período de incubação dos periquitos é de 18 dias e que o crescimento da ave até à sua independência será mais de 1 mês. Além disto, não deve deixar que os periquitos criem mais de 4 ninhadas consecutivas, ou então pode optar por fazer duas ninhadas consecutivas, seguidas de 1-2 meses de descanso, isto durante todo o ano, de forma a não desgastar muito as aves…

Assim, em média, estas aves fazem posturas entre 4 a 6 ovos. Para a nossa estimativa vamos fazer as contas com a média da média, isto é, 5 crias por postura. Assim, caso as aves comecem a criar logo desde início, nos primeiros 4 meses (período para o qual a saca de comida inicial chega perfeitamente) vamos conseguir 2 ninhadas de cada casal, o que, a 5 crias por ninhada, perfaz um total de 30 crias nos primeiros 4 meses. Fazendo as contas ao mais baixo preço a que já vendi as minhas aves até hoje – 1,5€ – teríamos um retorno de 45€ mas, actualmente, estou a vendê-las no mínimo a 2 € cada, conseguindo neste caso um retorno de 60€. Destes 60€ não vamos receber tudo, uma parte é troca directa por mais um saco de comida que dará para mais 4 meses no mínimo para os 3 casais e para os suplementos e o restante é para ajudar a cobrir o investimento final – vamos pensar em 25€, 15€ para a saca de 25Kg de comida e 10€ para os suplementos. Deste modo, temos um retorno real de 35€ e temos os próximos 4-5 meses assegurados.

A partir daqui, o ciclo repete-se indefinidamente, ou seja, em 3 rodadas semelhantes consegue-se cobrir o investimento inicial na totalidade. Pode sempre fazer alguma gestão estratégica dos momentos de criação e até ir constituindo mais um casal ou dois com as crias que vão nascendo para que, quando tiver os casais iniciais em repouso, possa ter os casais novos aptos para criar, garantindo desta forma o sustento dos casais que estão em repouso.

ATENÇÃO: os valores que utilizei durante este artigo, em relação à compra de equipamento, foram os mais elevados possíveis pelo que, é bem possível que possa fazer a “festa” com menos do que eu mencionei. No caso de lhe pedirem mais do que os valores que mencionei, aconselho-o/a a consultar outro local de venda.

Se pretender fazer uma época de repouso prolongada lembre-se de, trocar as crias de uma ronda não por uma saca de comida mas sim por duas!

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática interessado em pesca ao achigã, horta/jardim, Internet e blogging. Criou os interessespessoais.com como um projecto para os tempos livres, para divulgar algumas ideias e "matar" o vício de blogging.

More Posts - Website

Follow Me:
PinterestGoogle Plus