No passado Domingo foi dia de regressar à jardinagem, visto que o tempo já vai fresco, e lá vai chovendo de vez em quando, o que para mim é muito bom, pois tenho um pequeno problema quando chove muito: a sustentação das terras em frente da casa.

O Mike mostra a altura do declive em frente da casa

O Mike mostra a altura do declive em frente da casa

Assim, o que fiz foi nada mais nada menos que plantar “tufos” que alastram sozinhos pelo terreno, fazendo um manto espectacular, ajudando assim a evitar a erosão do solo, e por conseguinte, ajudando na sustentação da terra em frente da casa. Ainda não sei o nome da planta, que baptizei por “tufos”, pois é o que parecem quando se encontram numa fase inicial de desenvolvimento, antes de estarem completamente espalhadas pela terra, em jeito de manto (logo que saiba o nome actualizo o artigo).

O Mike mostra nesta foto os "tufos" que já existem, e também o declive acentuado da terra

O Mike mostra nesta foto os "tufos" que já existem, e também o declive acentuado da terra

A ideia é plantar mais algumas carreiras ao longo de toda a frente de terra, para que daqui por uns meses as plantas alastrem, atingindo nessa altura 2 objectivos:

1 – sustentação das terras

2- impossibilitar o crescimento de ervas daninhas, que não conseguirão obter Sol para crescer

A primeira coisa a fazer, foi identificar locais onde os “tufos” existentes já estivessem alastrado para locais indevidos, como plantas por exemplo, para os podar e obter assim material para plantar – sim, basta cortar um raminho e plantá-lo para termos um manto espectacular passados alguns meses!

Local para podar - já estão a crescer para cima de outras plantas

Local para podar - já estão a crescer para cima de outras plantas

Plantas conseguidas pela poda do excedente dos "tufos" existentes

Plantas conseguidas pela poda do excedente dos "tufos" existentes

Uma vez conseguidas as plantas para a nova carreira, passa-se ao trabalho da terra propriamente dito. Neste dia utilizei um sacho e um balde, para além da tesoura para podar as plantas.

1º - abri um rego ao longo da terra

1º - abri um rego ao longo da terra

2º - cobrir o fundo do rego com substrato para plantas

2º - cobrir o fundo do rego com substrato para plantas

Este último passo não é essencial, uma vez que os “tufos” que tenho actualmente já perfeitamente desenvolvidos, foram plantados directamente na terra, sem substrato, mas desta vez preferi adicionar substrato para plantas, para garantir que as plantas enraízam mais rapidamente, o que significa que também se poderão desenvolver de forma mais rápida (afinal, já deveriam estar a sustentar a terra quando vierem as chuvas a sério).

3º - rego com fundo totalmente coberto com substrato para plantas

3º - rego com fundo totalmente coberto com substrato para plantas

4º - planta pronta para ser coberta com terra

4º - planta pronta para ser coberta com terra

Como se pode ver na imagem anterior, fiz pequeno raminhos, para facilitar a plantação, e uma vez pegados, alastram facilmente ao ponto de tocarem uns nos outros.

5º - plantação concluída

5º - plantação concluída

Na imagem acima, é visível o aspecto com que ficam as plantas depois do trabalho concluído. Agora é esperar que vá chovendo moderadamente, para não ser preciso regar, mas que também não chova demais, para que a terra que vem de cima não tape as plantas…

Agora é só fazer mais uns 4 ou 5 regos como este (com cerca de 40 metros de comprimento!).

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática interessado em pesca ao achigã, horta/jardim, Internet e blogging. Criou os interessespessoais.com como um projecto para os tempos livres, para divulgar algumas ideias e “matar” o vício de blogging.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •